Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 13 de junho de 2010

SILENCIADOR

O GRITO, Edvard Munch.


Ouvia vozes. O tempo todo aquele tormento, a cabeça à beira da loucura. Procurou ajuda. No parecer do psiquiatra, as vozes tinham causa patológica. Esquizofrenia, dissera-lhe. Para tanto, receitou-lhe medicação pesada.
Como os remédios não surtissem efeito, resolveu buscar auxílio em outro setor. Quem sabe seu problema não fosse de origem espiritual?
Foi o que garantiu o pastor, convencendo-o de que estava sob o efeito de manifestações demoníacas.
Converteu-se. Batizaram-no. Até contribuiu com o dízimo. De nada adiantou. As vozes em sua cabeça perseveravam.
Por fim, procurou um contrabandista, de quem comprou a solução mortífera.
As tais vozes estavam com os dias contados.

[gORj]

Um comentário:

Angela disse...

Bom este conto. Como são ainda, tão mal compreendidas as questões psíquicas que escapam aos padrões...