Dino, o mascote d'O Muro

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

OXELFER




Na noite em que fiz 35 anos sonhei que estava diante de um espelho e que esse me devolvia um reflexo envelhecido: algumas rugas, muitos fios grisalhos. Tinha eu 53 anos. Toquei no espelho. A superfície recebeu meu toque com a liquidez de uma poça. Sumiram os dedos, a mão. O braço inteiro. Fui tragado para dentro dentro do espelho. Mal abri os olhos e me vi no mesmo lugar, ou melhor, do outro lado, onde tudo era igual a antes, mas de forma deslocada: o que era esquerdo tornara-se direito, e vice-versa. Olhei novamente para o espelho. A imagem refletida aparentava os meus 35 anos vividos. Tornei a tocar o meu reflexo. A superfície dura, fria. Impenetrável. Notei meus dedos envelhecidos. Como todo o resto em mim, 18 anos mais velho.


[gORj]

A_MARGARIDA


Reclamaram dela à diretoria do Centro da Melhor Idade.
 A recepcionista é muito azeda, disse uma das idosas. Eta mulherzinha amarga.
Passaram a reclamação à funcionária.
– Amarga, não. Funcional    ela se defendeu.  Esses idosos reclamam demais.
E concluiu, com séria ironia:
– Até porque, com eles, não posso ser doce. A maioria é diabética.


[gORj]

IMPOTÊNCIA



Pescadores encontraram uma baleia encalhada na praia.
Entristecidos, constataram que nada podia ser feito, haja vista que ela já agonizava entre a vida e a morte.
A barriga inchada. Morta, abriram-lhe o ventre. Descobriram, surpresos, que a baleia estava grávida. A surpresa foi maior quando deram com o filhote ainda vivo.
Diante desse nova descoberta ficaram ainda mais tristes.
Por ele também nada podia ser feito.

[gORj]