Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 13 de junho de 2010

FÉ PERDIDA


Da mala retirou a batina e nela pôs fogo.
Não satisfeito, arrancou do pescoço o crucifixo e atirou-o ao rio.
A bem da verdade, não era um crucifixo, mas sim uma pequena cruz. Vazia.


[gORj]

Um comentário:

Angela disse...

Tomara que a fé em si mesmo ganhe força!
um abraço, Wilson.