Dino, o mascote d'O Muro

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Entrevista








Confiram a entrevista cedida a Marcelo A. D'Amico.

Convite

Revista
Portal Neuromancer LANÇAMENTO:
Quando? Dia 05 de dezembro, às 19h. Local? Campus da PUC. Onde? Rua Paranaguá, 111, em frente à Universidade Mackenzie, SP. Entrada franca. Mais um motivo para ir: haverá sorteio de exemplares. Saiba mais.

O RIO

Chove há dias. O rio se alarga, cada vez mais próximo de nossa casa.
Os vizinhos, prudentes, já abandonaram as suas.
Até a minha mulher fez o mesmo, indo para a casa dos pais.
Só eu fico. Fico aqui, à espera dele. Espero pelo rio. Esse rio do qual me mantenho afastado há anos. Desde aquele maldito dia em que suas águas levaram o que tínhamos de mais valioso.
Não. Daqui não saio. Que venha o rio. Quem sabe ele me leve para junto do meu filho.

Em italiano.

[w.G.]+Verbo21 + Simplicíssimo

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

PROTEÇÃO*

Deixou a turma da faculdade no carro e entrou correndo em casa.
─ Mãe, já tô indo ─ disse ele, tentando parecer sóbrio.
─ Tenha cuidado, filho. Muita atenção quando for descer a Serra. Aquelas curvas são muito perigosas.
─ Não se preocupe, mãe. Vamos sem pressa.
Ela duvidou. Eles iriam ao litoral, festejar o Ano Novo.
De repente, a impaciência buzinou lá fora.
─ Estão me chamando, mãe. Preciso ir. Chegando lá, eu te ligo, tá bom? Tchau.
─ Vá com Deus, meu filho.
Antes de cruzar a porta, ele ainda brincou:
─ O carro tá lotado. Se Deus quiser vir com a gente, vai ter que se ajeitar no bagageiro.
Instantes depois, a mãe escutava o arranque do motor e o cantar dos pneus. Um aperto no peito. Foi para o quarto rezar.
Horas mais tarde, o telefone tocou. Ela segurou o fone com o terço (e o coração) na mão.
Do outro lado da linha, a voz estranha tentava transmitir-lhe a notícia do acidente. O carro do filho havia perdido a direção quando descia a serra. Uma curva muito perigosa, salientou o policial. Dada a velocidade, o veículo ultrapassou a proteção e capotou encosta abaixo, chegando ao fim completamente destroçado. Não houve sobreviventes.
Um detalhe, no entanto, chamava a atenção.
No bagageiro, os bombeiros encontraram duas garrafas de champanhe e cinco taças de fino cristal. Todas intactas.
.
*uma história recontada.
.
[w.G.]+ 2 minicontos [Grafias]

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

DESAFINADOS

O maestro deu a cada filho o nome de uma nota musical: -ris, -gis, Mi-rian, -tima, Sol-ange, -zaro e Si-mone.
Só não pôde dar a eles a harmonia de um lar.
Em sua casa, nenhum se afinava com o outro.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

PEDIU LEVOU



Atiraram um ovo.
- Joga a mãe! - esbravejou o ator.
Acertaram-lhe com uma galinha.


[w.G.]+Recanto [SOS]

UM BRINDE À VIDA

Numa noite a Morte veio buscá-lo.
Antes de partirem, ele implorou-lhe um último copo de vinho: “Aceita?”
Ela aceitou.
Os dois embebedaram-se.
A morte partiu sozinha.
img: chin-chin

VERGONHA

Faltavam-lhe alguns dentes. Da frente, porém, aquele era o primeiro a cair. Natural, então, que sentisse vergonha e evitasse rir diante dos outros.
A vergonha duplicou com a queda do segundo dente frontal. Mordia risos, engolia sorrisos. Até que perdeu o terceiro dente.
Estava já se acostumando com a situação. A vergonha diminuía. Aos poucos vencia o receio de conversar com os amigos.
Quando, porém, contavam-lhe algo engraçado, ainda mantinha o pudor de levar a mão à boca para esconder o riso cada vez mais desfalcado.
Hoje está banguela de tudo. E ri naturalmente, sem vergonha nenhuma. A boca escancarada como se tivesse todos os dentes.
[w.G.] + 11 minimalistas [Site Lima Coelho]