Dino, o mascote d'O Muro

segunda-feira, 28 de junho de 2010

REVERTERE AD LOCUM TUUM


Por determinação do falecido, a viúva cremara-lhe o corpo e encomendara um caixão.
Parentes distantes e uns poucos colegas de trabalho compareceram ao velório e nenhum deles desconfiou da fraude: no lugar do defunto, o caixão comportava apenas sacos de areia.
Atendendo, ainda, à outra extravagância póstuma, a viúva fez um bom café, e o serviu a todos.
Ninguém suspeitou que velava um corpo ausente. Presente apenas na lembrança – e na xícara de cada um.
.
[gORj] __________________________ In: Contos de pouco fôlego, 2009.

Nenhum comentário: