Dino, o mascote d'O Muro

terça-feira, 29 de setembro de 2009

BALANÇO

Soube dos médicos que lhe restavam apenas alguns meses de vida. Tratou, portanto, de aproveitá-los o máximo que pôde.

No entanto, por mais que se aferrasse ao presente, era o passado que tomava conta de seus sonhos.

Sonhava com sua infância. Com a casa onde nascera e, por muito tempo, fora feliz. Entendeu com isso que, antes de morrer, deveria vê-la pela última vez.

Deste modo, empreendeu sozinho a viagem de carro rumo à cidade natal.

Durante o trajeto, tentava recompor o lar querido em todos os detalhes. Lembrou-se de cada cômodo da casa. Recordou-se também da varanda e, principalmente, do quintal onde havia a velha mangueira. Do galho pendia um pneu amarrado a uma corda. Ah, o pneu. Seu coração balançava nessas doces lembranças.

E balançou até cair. Teve um baque ao chegar.

No endereço, não encontrou mais a antiga residência.

Em seu lugar - triste ironia - haviam construído uma loja de pneus.

.

[wgorj] ______________________In: Quem? Contos Selecionados - CBJE.

domingo, 27 de setembro de 2009

RESIGNADO

Lia o jornal, quando, surpreso, deparou-se com o próprio obituário. A nota informava que o seu enterro estava marcado para dali a uma hora.
Apressou-se, então. Antes queria se despedir dos entes queridos e ver seus lugares prediletos pela última vez.
Só na rua deu-se conta de que não precisava ter pressa. Afinal, não conhecia nenhum parente; sequer tinha amigos ou algum lugar especial onde quisesse ir.
Conformou-se, então.
A passos lentos, rumou para o cemitério.
.
[wgorj]

COMUNISTA FEITA

Em seu salão de beleza, não se contentava em fazer os pés e as mãos de suas clientes. Empenhava-se, também, em fazer-lhes a cabeça.
Naqueles tempos de ditadura, fazer isso era um grande perigo. Logo, trataram de fazer-lhe uma visita.
Ninguém nunca soube o que foi feito dela.
.
[wgorj]

O MUNDO ALI NO QUINTAL

Tentaria a felicidade a dois. Pela quarta vez. As outras três com quem se amigara, uma a uma, sumiram no mundo, sem dar notícias.
Com esta, apostava, haveria de ser diferente.
Mas não foi. Ciúmes, brigas, desconfianças. Descontrole. Tudo terminando a golpes de facão.
Em pouco tempo, apaixonou-se outra vez.
Amigaram-se. A quinta com quem buscava a felicidade. As outras quatro sumiram no mundo.
.
[wgorj]

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

JANELA

img.: daniel_solnon

Assim que abriu a janela, a bela paisagem surgiu-lhe diante dos olhos.
Livre, a vista pastou naquele campo verde e planou na vastidão do azul.
Fechou, então, as pálpebras. Por alguns instantes, parecia aspirar o ar da liberdade.
Pestanas abertas, ilusão desfeita. Seu tempo de acesso havia expirado.
O próximo detento ocupou o computador.
.
[wgorj]

PREGUIÇOSO


O pai tinha o hábito de chamá-lo de preguiçoso. Até que um dia, vítima de um acidente, o filho morreu.
Na hora do enterro, o velho desabafou:
– Esta tarefa era para ser sua. Sua, e não minha! Era você que devia me enterrar. Você! Você, seu... Seu preguiçoso!
.
[wgorj]

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Microficcionistas, vinde ao selo!

O PROFISSIONAL

google
Dos assassinos de aluguel era o mais profissional e experiente. Em sua longa carreira de facínora ostentava um rosário de mortes.
O excesso de profissionalismo foi a sua perdição.
Devido a tanta competência, não pode declinar da contratação de seus serviços por parte do seu maior concorrente.
Recebeu adiantado e, profissionalmente, realizou seu último assassínio.
Matou-se.
.
Gostou?
Tem + 2 minicontos criminosos [aqui]
Blog - Inflitrados

domingo, 6 de setembro de 2009

LUVA DESCARTÁVEL

Era encarregado de fazer o serviço sujo. Quando caiu nas mãos da Polícia Federal, acreditou que, em nome de sua eficiência e lealdade, o parlamentar a quem servia, em tão crucial circunstância, não o deixaria na mão. Mas esse, para não se comprometer, negou qualquer envolvimento. Rebatendo as acusações, afirmava categoricamente: “Não conheço esse cidadão. Tenho as mãos limpas!”.
.
[wgorj]

FRUTO ESTRAGADO


O devorador de mundos descobriu a nossa galáxia e veio comendo os planetas até se deparar com o nosso.
Todavia, antes de comê-lo, passou o dedo sobre uma das partes cinzentas da crosta terrestre e, a seguir, levou-o à língua.
Não gostou do que experimentou.
Sorte nossa. O travo da metrópole paulista salvou-nos de sermos devorados.
.
[wgorj]

ENTREGUE À POEIRA DO TEMPO

fonte [clique na imagem]

Um gênio mau condenou-o a passar a eternidade confinado numa biblioteca enriquecida com todos os Clássicos da Literatura Universal.
Depois de ler e relê-los muitíssimas vezes, o bibliófilo fechou as pálpebras amareladas e quedou-se entre os livros.
Compadecido, o gênio transformou-o numa enciclopédia.

[wgorj]