Dino, o mascote d'O Muro

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

LABIRINTO


Uma vez no labirinto, chegou um momento em que tive a impressão de que cruzava repetidamente comigo mesmo, de que eu era o outro, dentro e fora de mim, até que, desconcertado, escolhi ficar um instante quieto num ponto, talvez assim pudesse recuperar meus sentidos, e foi então que me vi, com espanto, passar por outro dos caminhos equivocados e sem saída.
.

Autor de Continhos e outras alterações, do qual foi extraído o miniconto acima.

Um comentário:

Angela disse...

Perdido no óbvio!

De repente estou muito velha! tudo me parece o mesmo. Devo estar perdida com este moço no labirinto...