Dino, o mascote d'O Muro

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

PAR


Inesquecível noite de amor. Inesquecível e merecida. Afinal, por mais de uma semana estivera longe de casa, viajando a trabalho.
Mas agora estava de volta. Voltava para o aconchego de sua cama e os carinhos de sua esposa.
Como um anjo, ela dorme, enquanto ele veste o roupão e calça os chinelos.
Os chinelos. Pisando em nuvens, dirige-se ao banheiro. Nem se dá conta de que arrasta um par bem maior que seus pés.
.
{gORj}

6 comentários:

Angela disse...

muito bom, mas com o repetido tema da traição...

Lidi disse...

Muito bom, Gorj. Semana passada, dei aula de interpretação e expliquei sobre o subentendido, sobre o que está nas entrelinhas do texto, o que está implícito e, para ilustrar, li alguns minicontos teus para os meus alunos. Eles adoraram. Abraço.

Anônimo disse...

Fico contente com esta sua iniciativa, Lidi. Quisera os professores daqui tentassem fazer o mesmo com os alunos da minha cidade. A secretária da educação chegou a ir ao lançamento do meu novo livro e, na ocasião, se comprometeu a comprar 100 exemplares para dividir entre 10 bibliotecas escolares da rede pública. Conversa fiada. Até hoje, meses depois, a Secretaria não comprou um sequer. Santo de casa não faz milagres, bem adverte o ditado.

Desculpe o desabafo.

Apareça sempre.

Abraços.
W.G.

mural do ajosan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mural do ajosan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mural do ajosan disse...

Essa é das melhores, muito criativa, Wilson.