Dino, o mascote d'O Muro

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O VAGÃO

Anoitece. Barulhenta, desliza sobre os trilhos a velha locomotiva, puxando atrás de si inúmeros vagões repletos de coisas ignoradas. O olho do trem, ciclope de ferro, varre a escuridão à sua frente. E a cada passagem descem as cancelas ao som do seu apito escandaloso, como se quisesse alertar os mais surdos ou, quem sabe, desencorajar os suicidas. Segue o trem, o último vagão desaparecendo sob o arco da ponte. Meu olhar desengatado fica sobre os trilhos.

[gORj]

4 comentários:

Angela disse...

é... sobre os trilhos, sem viajar?

Dalva M. Ferreira disse...

Tudo aqui é muito bom! Linkarei esse blog aos meus favoritos. Abração.

W.G. disse...

Sim, Angela. Viajando, sempre.

A Marina mandou um beijo.

---

Dalva,

Bom ter gostado. Fico feliz em receber sua visita. Volte mais vezes.

----

Abraços
do Gorj

Angela disse...

Puxa, só li agora, mas bem que senti, de repente, um beijo novo como asinhas de borboleta. Adorei!