Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 6 de dezembro de 2009

BREVE DISCURSO


Gozava de boa saúde e juventude. A despeito disso, vivia abordando os outros para pedir dinheiro. Aplicava sempre o mesmo discurso: família pobre, irmãos pequenos, pai alcoólatra, mãe doente e, para piorar, ele, analfabeto, não conseguia arranjar emprego. Chegou, pois, à conclusão de que gastava muitas palavras para receber apenas uns poucos trocados. Era hora de mudar a estratégia.
Com modesto investimento, apelou para um argumento bem mais sucinto: “Passa a grana, se não morre!”.
Espantoso como o faturamento aumentou.
.
[wgorj]

Um comentário:

Angela disse...

Fantástico! Muito bom e, possivelmente verdadeiro em muitos casos.