Dino, o mascote d'O Muro

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

SUBMERSO

Os gemidos os denunciaram.
– O que faziam no milharal? – inquiriu, mais tarde, o coronel.
– Troca de carícias – respondeu a escrava.
A ousadia precipitou-lhe o castigo.
– Conhecerás agora as carícias do chicote.
– Não serão piores que as tuas. Adicionar imagem
Rosto vermelho de cólera. Ciúmes.
– Ingrata! Pagarás caro por sua traição.
E aos capangas:
– Dêem a essa vadia o trato que ela merece.
A escrava deixou-se arrastar sem perder a altivez. Antes, o coronel ainda lhe disse:
– Gemerás tão alto que até os peixes lá do fundo do rio haverão de escutá-la.
Pausa triunfante. A revelação pior que a chibata:
– Os peixes e o teu amante.

.
[gorj]

3 comentários:

Angela disse...

Muito bom! Esta face cruel lhe cai bem...

mural do ajosan disse...

Wilson, bem ao seu estilo de artista; muito bom.

Wilson Guanais disse...

assim que chegar aqui (os livros) eu envio, desculpe a demora, já estão prontos.
abraço.