Dino, o mascote d'O Muro

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

MAIS GORJETAS



1. O sapo coaxou uma sapa. Os dois coaxaram o amor.
*
2. O cúmulo do abandono. Daquela casa até os fantasmas tinham ido embora.
*
3. Naquela noite levou minhas putas para cama. Quer dizer, o livro Memória de Minhas Putas Tristes, do García Marquez. Adormeceu com a cara entre as páginas. Sonhou que eram pernas.
*
4. Fez do empréstimo bancário a corda para tirá-lo do buraco em que se encontrava. De um buraco para outro, acabou se enforcando.
*
5. Preso por espancar Papai Noel. “Que mal ele te fez?”, inquiriu o delegado. “Eu pedi um pirulito”, respondeu. “E sabe qual saco ele segurou?”
*
6. A loira entrou no banheiro masculino. Ele correu para avisá-la do engano. Deu com ela de pé, em frente ao mictório, descendo o zíper do short...
*
7. O moleque se aproxima da motorista. “Quer bala?” A mulher lhe dá 50 reais. Não que fosse generosa. Teve medo. A bala que ele oferecia não era nada doce.
*
8. Na calçada, encontrou uma arma. Agachou para apanhá-la. Eis que chega a viatura. Descem PM's armados. "Larga essa arma!", gritam.
– Ahn?
Cinco tiros no peito.
*
9. Perguntaram a Bentinho por onde andava Capitu. “Decerto, na praia”, respondeu. E com amargura: “Deve estar jogando frEscobar”.
Sua cisma infiltrava-se até nas palavras.
*
10. Sempre que topava com gatos, maltratava-os.
Um dia deparou-se com um leão fugido do circo.
O grande felino lavou a honra de seus parentes menores.
*
11. “Enquanto eu existir, você jamais será feliz!”
Praga? Ou ameaça? Não quis pagar para ver. Agiu rápido.
Hoje é feliz.
E ela?
Já não existe mais.
* * *
.
[gorj]

4 comentários:

Angela disse...

feroz! fugiu do circo?

Miniconto disse...

Oi, Wilson, companheiro de minicontos.
Interessante o de n.° 7.
Sim, há doces amargos...
Abraços.

mural do ajosan disse...

Wilson, como sempre, ótimos seus microcontos; cada um melhor que o outro; grande abraço, amigo.

mural do ajosan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.