Dino, o mascote d'O Muro

segunda-feira, 1 de março de 2010

A VIDA CONTINUA


No dia do Juízo Final todos foram convocados: vivos e mortos compareceram perante Deus para serem julgados por seus atos. Os bons subiram ao céu; os maus desceram ao inferno. Largados aqui, ficaram apenas os ateus. Apenas os bons ateus, pois, se por um lado a descrença os privara do paraíso, por outro a bondade os salvara do fogo eterno. Condenados a povoar a Terra por toda a eternidade, não sabiam ao certo se estavam sendo recompensados ou punidos.
Fosse o que fosse, logo os imortais tomaram a decisão de se dividirem em pequenos grupos, cada qual seguindo um rumo diferente.
“A vida continua”, ponderou a figura encapuzada, que a tudo observava à distância. Seu olhar voltou para o que trazia nas mãos. “Agora não preciso mais disto”, concluiu.
E livrando-se da foice, seguiu no encalço dos homens.
.
[gorj]

4 comentários:

Anônimo disse...

?

Anônimo disse...

Este testou lembrou o romance de Saramago "Intermitências da morte", em que a morte se rende ao prazer de viver. Quanto aos bons ateus, não havia melhor destino para eles rs...

Eryck Magalhães.

Angela disse...

amigo, repito o comentarista anônimo 1- ??????????????????????

Angela disse...

Se a vida continua, a vida da morte também, é isto?
Quem sabe um caso de amor da morte com os humanos. Eles estavam livres dela, mas ela não se livrou deles... ou seja, a peteca sempre fica em alguma mão, senão o jogo acaba!

mesmo custando a entender, é muito bom1