Dino, o mascote d'O Muro

terça-feira, 2 de março de 2010

BANQUETE CANIBAL


Sabia demais. Se fosse chamada para depor na CPI, ele estaria perdido.
Tinha, portanto, de agir rápido. Planejou, então, uma viagem ao Pantanal, para a qual tratou de levá-la consigo.
Na primeira incursão à vida selvagem, convenceu a amante a banhar-se num rio de águas calmas.
A calmaria, porém, durou pouco.
Da margem, o senador manteve-se tranquilo, enquanto o corpo daquela piranha era estraçalhado pela fome de suas colegas.
[GORJ] ___In: Minicontos à beira-rio - Livre Pensar Literário (NOVA COLETÂNEA ED. SUPREMA).

Um comentário:

Angela disse...

Gostei muito. Terrível , mas tão a cara destes políticos que chego a desejar que um tsunami de piranhas se derrame pelo palácio do planalto!