Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 4 de outubro de 2009

AVE, PALAVRA



O poeta sentou-se debaixo da árvore. Armou o alçapão e ficou à espera.
À espera do quê?
Ninguém pôde descobrir. A armadilha era tão invisível quanto o pássaro que ele esperava.
.
[wgorj]

5 comentários:

Angela disse...

Que lindo!
Acho que você conhece este alçapão!

Anônimo disse...

Wilson,
Ave-palavra é de uma leveza maravilhosa. Prosa poética como convém a muitos minicontos.
Lembrou-me um poema do Jacques Prévert (PARA PINTAR O RETRATO DE UM PÁSSARO).
Um abraço, josé marins
http://fieiradehaicais.blogspot.com/

Parreira disse...

Gosto daqui!
Enquanto a minha concisão é de vez em quando, a sua já é estilo.

Muito bão!

Lidi disse...

Belíssimo!

Cynthia Lopes disse...

Ave Wilson e sua metáfora perfeita! bjão