Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 9 de dezembro de 2007

COLAR / NOTURNO


COLAR

Reuniu todos os brilhantes momentos que juntos passaram e debruçada na janela puxou o fio de uma nuvem que se esgarçava tecendo um belíssimo colar que tão logo ficou pronto se desprendeu de suas mãos e caiu.

As contas espalharam-se pela paisagem noturna e ficaram por algum tempo ainda cintilando em forma de pequenas luzes.




NOTURNO

O violino, com o fino anzol da música, fisgou a lua no fundo do rio, e a manteve suspensa por alguns compassos.
Na primeira pausa, a lua, sobre a água, derramou-se em prata.


Maria Lúcia Simões,
do livro Contos Contidos.

Um comentário:

Angela disse...

femininos, muito delicados!