Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 30 de dezembro de 2007

BARQUINHO DE PAPEL OFÍCIO

_____________________________álbum Jailson Brito Jr.

Gostava de brincar de barquinho. Viajava por mares longínquos e lugares que só conhecia na imaginação. Cada barco de papel era um sonho que navegava. Iria ser da Marinha quando crescesse, dizia ele. As tempestades só aconteceram no dia-a-dia. Os anos vieram com as ondas que levaram suas ilusões. Nele, o oceano só permaneceu nas águas dos seus olhos. A vida quis que ficasse em terra, trabalhando no cais do porto. Tornou-se , então, marinheiro de escritório.
é um dos três nanocontistas que integraram o livro de bolso Pagando Micros.

5 comentários:

Angela disse...

Bonito conto, triste!
Wilson, vim aqui ler os contos mas com o intuito maior de deixar, no Muro, os meus votos de um novo ano cheio de doçuras, levezas, carinhos e realizações! Você foi um bom presente de 2007! Que 2008 aperte os laços deste presente e que ele esteja bem posto em nosso presente, diário!
Um beijo amigo da Angela.

Carlos Barbosa disse...

Caro Wilson, já linquei teu blogue no meu "contosempre". Belo designer, excelentes textos, edição cuidadosa e agradável à leitura. Ganhou um leitor e um divulgador. Abr. e sucesso, Carlos Barbosa

Carlos Barbosa disse...

Putz..."belo design", é claro...rs.. Se tiver tempo passe também no "miniconto.zip.net", blogue que está desativado mas que abriga uns minicontos que considero bacanas...abr. carlos

Priscila Lopes disse...

Bela micro-narrativa. Os olhos velejam na leitura.

Frau disse...

Parabéns! Amei o blog! Contos curtos e inteligentes! Voltarei mais vezes, com ctz!