Dino, o mascote d'O Muro

quarta-feira, 21 de março de 2012

SOLDA


Queimou a vista de tanto expô-la às faíscas do maçarico. Cego, tropeçava, derrubava coisas. Logo topou com um buraco: o tombo. Dor e inchaço na perna. Depois, no ambulatório, a chapa. "O osso trincou", disse a médica. E ele, gemendo ironia: "Não tem como soldar?".

[gORj]

Um comentário:

Angela disse...

Teria como usar a proteção correta antes de cegar-se. Já lidei tanto com esta tola rebeldia e inconsequência...