Dino, o mascote d'O Muro

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

SINAL POSITIVO


Faltavam poucos dias para o Natal quando topei com Papai Noel. Estava bêbado. Parou na minha frente e pediu-me um trocado. Dei-lhe o dinheiro e brinquei: “Espero que neste ano o senhor se lembre do meu presente”. Ele me olhou, sério. “Não se preocupe, rapaz”, respondeu. “Seu presente já está reservado.” E, com o polegar sinalizando para cima, completou: “Pode acreditar que desta vez ele vem”.
Dito isso, deu-me as costas e, antes de partir, ainda repetiu: “Virá, sim. Desta vez não falha”. Sua mão mantinha o polegar levantado. “Um belo presente. Aguarde.”
Dias depois já não me lembrava mais desse episódio. Estávamos todos em casa. O Natal finalmente chegara.
Na noite festiva, minha mulher entregou-me um embrulho bonito, entrelaçado por fita vermelha. “Seu presente”, sussurrou-me ao ouvido.
Desembrulhei. Dentro havia apenas uma folha azulada. Trazia o resultado de um exame. De imediato veio-me à lembrança o sinal que o bêbado fizera em nosso encontro.
POSITIVO.
Lágrimas de alegria ressuscitaram minha crença em Papai Noel.
.
gORj

6 comentários:

Por que você faz poema? disse...

"Eu pensei que todo mundo fosse filho de Papai Noel".

Anônimo disse...

Herculano,

Observação perspicaz, a sua. Quem sabe o Ricardão, dessa vez, tenha entrado pela chaminé [rs].

Abraços.
W.G.

Anônimo disse...

Não me sinto bobo ao estar de um lado onde o Natal significava algo mais. Não pela crença... não sou crente. Hoje leio que o Natal tem alguma referência à consepção. Delicado. Mais delicado que outras referêncas não muito difícil de enconrarmos por perto. Certamente o sentido é maior do que um presente... isto não é Natal. A fita azul, sim, é um prenúncio de natal. Antes que esqueça: Feliz Natal!

dani carrara disse...

minha crença nas pessoas que cruzam comigo nas ruas tbm ressuscita qdo leio algo assim. abs, e bom fim de ano
dani

Angela disse...

Todo mundo é mesmo filho de papai Noel, na medida em que ele representa a chama que vem do céu e entra pela chaminés das casas - uma simbologia da abertura para o alto, para o que é elevado etc... Além do que, o solstício do Inverno - perto do Natal, temos outro momento onde se comemorava o momento máximo do inverno e, portanto, o início da supremacia da luz sobre as trevas. É muito conhecimento simbólico que, sem saber, repetimos de um modo ou de outro, como neste teu belo conto.

josé marins disse...

– Idiota! – berra a mãe.///////////
A menina deixara as sandálias na //
janela na noite de Natal. /////////
Na manhã seguinte ela encontrou a janela vazia.//////////////////////
-----------------------------------
josé marins