Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 27 de setembro de 2009

RESIGNADO

Lia o jornal, quando, surpreso, deparou-se com o próprio obituário. A nota informava que o seu enterro estava marcado para dali a uma hora.
Apressou-se, então. Antes queria se despedir dos entes queridos e ver seus lugares prediletos pela última vez.
Só na rua deu-se conta de que não precisava ter pressa. Afinal, não conhecia nenhum parente; sequer tinha amigos ou algum lugar especial onde quisesse ir.
Conformou-se, então.
A passos lentos, rumou para o cemitério.
.
[wgorj]

2 comentários:

Angela disse...

Gosto deste surrealismo nos minicontos!
Só fiquei com pena do pobre futuro defunto!

Lidi disse...

Sem comentários... adorei...