Dino, o mascote d'O Muro

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

JANELA

img.: daniel_solnon

Assim que abriu a janela, a bela paisagem surgiu-lhe diante dos olhos.
Livre, a vista pastou naquele campo verde e planou na vastidão do azul.
Fechou, então, as pálpebras. Por alguns instantes, parecia aspirar o ar da liberdade.
Pestanas abertas, ilusão desfeita. Seu tempo de acesso havia expirado.
O próximo detento ocupou o computador.
.
[wgorj]

4 comentários:

Angela disse...

Ótimo! sempre primoroso.

Cefas Carvalho disse...

Belo miniconto, Gorj. A idéia é muito legal. Parabéns pelo blog e pelos contos.

Lidi disse...

Gostei muito. Adoro finais que me surpreendem...

Cynthia Lopes disse...

Wilson, este foi cruel! Mas como sempre surpreendente e muito bem elaborado. Bjs