Dino, o mascote d'O Muro

domingo, 18 de novembro de 2007

A CLASSE MÉDIA DESCE AO INFERNO

Eu não tinha opção a não ser ir pela rua imperial. Aconteceu o que acontece sempre. Dois homens pularam na frente do carro; armas em punho. Um terceiro se postou atrás.
Um deles veio até a janela e me pediu tudo o que tinha. Dei o que via à minha frente. Pasta, celular, carteira... Quando acabei, ainda vi no lábio de um deles um sorriso maroto. O tiro partiu. Atingiu o tórax. Não morri por sorte, pela graça divina.
Desde então, um mês que saí do hospital, chego mais tarde em casa. Às vezes, muito tarde. Percorro a rua imperial incontáveis vezes, num eterno vai-e-vem. Vou matá-lo.
.
Luiz Cláudio Arraes
Médico e escritor. Autor dos livros Lugar Comum (amostra acima), O silêncio é de prata e a palavra é de ouro , O Remetente (contos e minicontos), Anotações para um Livro de Baixo-ajuda (micronarrativas), entre outros.

Nenhum comentário: