Dino, o mascote d'O Muro

terça-feira, 25 de maio de 2010

O BOM VIZINHO



O vizinho sempre os convidava para jantar. Convite que, vez ou outra, aceitavam, mais por caridade que por educação. Tinham pena dele. Era um homem tão sozinho...
O casal também o considerava muito gentil, prestativo, inteligente. “O tipo de pessoa”, diriam mais tarde, “acima de qualquer suspeita”.
Ainda bem que a polícia não pensava assim.
Investigações concluídas, vieram buscá-lo.
Algemado, conduziram-no à prisão sob os flashes da imprensa e os gritos da população: “Assassino! Monstro!!”.
O Bom Vizinho transformou-se em manchete policial.
A vizinhança, naturalmente, ficou horrorizada. O tal casal que o diga. Sequer conseguiam olhar para a casa ao lado. A lembrança dos jantares compartilhados com ele causava-lhes náuseas, pavor.
O jeito foi mudar de endereço.
E de cardápio. Nunca mais tornaram a comer carne vermelha.

[gORj]

In: Assassinos S/A Vol.II - Ed. Multifoco.


Um comentário:

Angela disse...

Muito bom, mas terrível! Até a mim enjoou, credo!