Dino, o mascote d'O Muro

sábado, 25 de julho de 2009

COLETA


Da coleta de latinhas, papel e plástico, tirava o sustento da família. A seus filhos o lixo também fornecia os brinquedos.
Para a esposa, às vezes, trazia alguns agrados. Como o anel, que outro dia encontrara no lixão. Local onde também, vez por outra, encontravam-se cadáveres. Com ou sem anéis.
.
[wgorj]

3 comentários:

Angela disse...

Este dia não poderia passar sem um conto novo!
Dia do escritor e do aniversário deste escritor de mão cheia, que nos brinda sempre com ótimas histórias!
Parabéns ao quadrado Wilson!

dudu oliva disse...

Excelente conto!!!!

Alejandro Ramírez disse...

Bueno y cruel. ¡Hay un tristeza implícita...!