Dino, o mascote d'O Muro

sábado, 25 de julho de 2009

ANESTESIA

img.

I.
Por muitos anos, viveram como se nadassem num mar de rosas.
Anestesiados pelo amor, não sentiam os espinhos.
.
II.
Esgotado o romantismo, sentiram as primeiras espetadas. As quais, pouco a pouco, tornaram-se recorrentes, corriqueiras.
Apesar disso, permaneceram juntos até o fim.
Na verdade, não é só o amor. O tempo também anestesia.
.
[wgorj]

4 comentários:

Angela disse...

Recentemente publiquei um conto sobre o mesmo tema! Sintonia ou sintemia!
Penso que o tempo nos torna mais tolerantes.
Os contos são muito bons! e isto não é novidade alguma!

dudv disse...

Gostei deste tb.

Alejandro Ramírez disse...

El tiempo también anestesia. Disminuye las fuerzas hasta para oponerse a la felicidad.

Muito bom, Wilson.

Silveira Machado disse...

Me aventuro a pouco tempo pela seara dos Microcontos, e lê-los é sempre uma forma de melhorar!

parabéns!