Dino, o mascote d'O Muro

quarta-feira, 1 de junho de 2011

FERRUGEM

Adorava andar de bicicleta; a namorada, porém, insistia que ele deveria comprar um carro. Cedeu aos argumentos dela. Não só comprou o veículo como fez dele seu transporte prioritário, quase exclusivo.
Ao renunciar às pedaladas, a preguiça tomou conta do seu corpo. Tornou-se sedentário. Cansaço, lentidão, adiposidade.
– Sinto-me enferrujado.
A ferrugem também consome a bicicleta no quintal.

.
gORj

2 comentários:

Lúcio Mauro Dias disse...

Eu estou meio assim também. A diferença é que bicicleta já foi eternizar-se no ferro velho...

Abraços e parabéns

Lúcio Mauro Dias.

Lívia Inácio disse...

hauahau

adorei!

quanta criatividade!