Dino, o mascote d'O Muro

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

RESENHA - BONSAIS ATÔMICOS

Bonsais Atômicos

por Arth Silva*



Para um autor de micronarrativas é fascinante ler outro autor do gênero, principalmente quando esse é bom.


Há alguns dias, recebi do meu editor, Wilson Gorj – também é um dos meus escritores preferidos –, um presente chamadoBonsais Atômicos, de Denison Mendes. O livro, que logo no título já faz uma analogia aos seus microcontos bombásticos, é composto por mais de uma centena de microcontos e poemas mínimos, ambos inicialmente postados no Twitter e, devido a qualidade, publicados pelo selo 3x4, da editora Multifoco/RJ.


Como disse no início, quando um autor lê outro do mesmo gênero e encontra um bom texto, ele sempre escreve o frustrado microconto em sua cabeça: “Eu queria ter escrito isso!”.


Em vários nanotextos, senti essa inveja positiva, logo transformada em admiração e respeito, a qual, aliás, sempre tem o poder de nos inspirar.


Certa vez, algum sábio disse: “O bom escritor é aquele que escreve muito, em poucas palavras”. É exatamente isso que Denison Mendes faz, misturando gêneros, estilos e climas, que resultam na grandiosidade dos seus microcontos de 140 caracteres. Alguns repletos de poesia: “Desperta-me em braile, suplicou, cega de amor, na noite branca dos lençóis”. Outros, de uma cínica sabedoria: “No leito de morte, o ateu questionava-se: ‘Se vou para o céu, porque vão me colocar embaixo da terra?’”. Ou comédia: “A Eva foi a primeira garota-propaganda da Apple. ‘Steve Jobs’”.


Há ainda aqueles de um tamanho e profundidade que raramente consigo alcançar, como este: “Desato-me em nós”.


Resumindo, o livro Bonsais atômicos é uma pérola nas mãos daqueles que apreciam o microconto e, por conseguinte, a boa literatura. O espaço no qual esses textos foram gerados é uma lição ainda maior, mostrando-nos que não há lugar para a arte. Seja no Twitter, seja no guardanapo, no muro, no SMS ou no rabisco feito na palma da mão, o bom escritor faz sua arma atômica em qualquer lugar, provocando uma explosão de palavras e a emoção de uma geração.


Leia esses Bonsais e tire suas próprias conclusões. Outros textos do autor podem ser lidos em seu blog:


http://www.bahrboletras.blogspot.com/)
___________________


*Arth Silva é autor do livro Contos à queima-roupa, selo 3x4, ed. Multifoco.

Um comentário:

Angela disse...

Resenha simples e muito boa!
Parabéns aos dois, Denison Mendes e Arth Silva. Tudo culpa do faro deste Gorgeador que já nasceu com nome de forte vontade.