Dino, o mascote d'O Muro

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

SUPERSTIÇÕES


DE AGORA EM DIANTE não terei nenhum tipo de superstição. Se por acaso avistar um gato preto, farei questão de passar perto sem medo de olhá-lo nos olhos; e caso encontre um desses despachos tão comuns em esquinas e encruzilhadas, prometo chutá-los com todas minhas forças (tome, despache-se da minha frente!). Ainda como prova da minha transformação, passarei debaixo das escadas quantas vezes for preciso, inclusive nas sextas-feiras treze. Deixarei os chinelos virados atrás da porta e dormirei com o pijama ao avesso. Hei de jogar no lixo todos os trevos, figas, ferraduras e pés-de-coelho acumulados pelos meus anos de ignorância. Também riscarei dos meus hábitos as famosas três pancadinhas na madeira e os ridículos três pulinhos em tributo a São Lombinho. Nenhuma crendice há de prevalecer. Agora que encontrei a luz da sapiência estou [...]>>+
[w.G]+Minguante - 13º edição.

Um comentário:

Angela disse...

Muito bom este teu texto, assim mais longo e bem diverso de seu estilo brincalhão.
Parabéns, sempre , meu amigo.